No Maranhão, 160 casos de hanseníase são registrados no município de Codó

No Maranhão, 160 casos de hanseníase são registrados no município de Codó
Combate a hanseníase virou prioridade. Foto: Reprodução Internet

O combate à hanseníase virou prioridade nas ações do serviço público de saúde de Codó, a 290 km de São Luís. O município registrou, só no ano de 2019, 160 novos casos de hanseníase, que é uma doença fácil de ser tratada, mas que depende muito do paciente e, principalmente, do diagnóstico precoce, pois quanto mais cedo, mais completa é a cura.

Segundo o enfermeiro Luciano Lima, Codó possui mais de 15 unidades básicas de Saúde prontas para combater os casos de hanseníase. Ele acrescenta que quem apresenta uma mancha suspeita na pele passa pelo três exames necessários. Se comprovada a existência da doença o início do tratamento é imediato.

“O médico dando o diagnóstico de hanseníase a gente já logo no início já vai logo iniciar um tratamento. Temos duas formas de tratamento. Tem a paucibacilar, que são pacientes que estão na forma mais simples da doença e dura seis meses, e tem o paciente que está na forma mais grave, que o tratamento pode ser de um ano a dois anos. Mas vai depender da reação de cada paciente”, explicou o enfermeiro Luciano Lima.

Codó está entre os municípios do estado do Maranhão, onde o combate a hanseníase é considerado prioridade. O que coloca os municípios nesta lista é o número de casos. No ano de 2019, 160 novos registros da doença foram feitos em Codó. Para o Ministério da Saúde já é o suficiente para considerar esta situação muito endêmica.

Para diminuir os casos, a coordenadora de combate à hanseníase, Delcina Filgueira, revela que durante o mês de janeiro as atividades estão sendo intensificadas na cidade. “Todo o mês as unidades de saúde estão trabalhando. Nós já tivemos a sensibilização de médicos, enfermeiros, agentes de saúde. Em todas as unidades a gente está com trabalho. Entre os sinais e o controle, a procura de casos como também o controle de contatos de casos de hanseníase, que são as pessoas que residem já na casa das pessoas que já fazem o tratamento”.

Delcina Filgueira pontua que atividades nas ruas também estão sendo realizadas para intensificar o combate da hanseníase em Codó. “Nós estamos com a blitz fornecendo fôlders, cartazes e folhetos sobre a hanseníase. É uma espécie de conscientização para a população sobre o controle e o combate da hanseníase no município”.

Fonte: G1/MA

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: