Nenhuma outra doença imunoprevenível matou tantas crianças e adolescentes em 2021 quanto a Covid, diz Conselho de Secretários de Saúde

Nenhuma outra doença imunoprevenível matou tantas crianças e adolescentes em 2021 quanto a Covid, diz Conselho de Secretários de Saúde
Menino recebe dose da vacina da Pfizer contra a Covid-19 em Roma, na Itália, em 15 de dezembro, dia que marcou o início da vacinação de crianças contra a doença na Europa. — Foto: Andrew Medichini/AP via G1
Menino recebe dose da vacina da Pfizer contra a Covid-19 em Roma, na Itália, em 15 de dezembro, dia que marcou o início da vacinação de crianças contra a doença na Europa. — Foto: Andrew Medichini/AP via G1

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) manifestou, nesta quinta-feira (16) apoio à decisão da Anvisa em aprovar a vacina da Pfizer em crianças de 05 a 11 anos e afirmou que nenhuma outra doença matou tantas crianças e adolescentes no Brasil em 2021 quanto a Covid-19.

“É importante destacar o alerta da Organização Mundial da Saúde (OMS), que aponta que o público entre 05 e 14 anos é o mais afetado pela nova onda de Covid-19 na Europa e, apesar do menor risco em relação a outras faixas etárias, nenhuma outra doença imunoprevenível causou tantos óbitos em crianças e adolescentes no Brasil em 2021 como a Covid-19″, afirmou o Conselho em nota.

A nota do Conass foi publicada logo após a reunião da Anvisa que autorizou o uso da vacina da Pfizer em crianças. E, embora ela não traga dados sobre o número de mortes causada nesta faixa etária, ela faz referência a uma fala do infectologista Renato Kfouri, representante da Sociedade Brasileira de Imunizações e que participou da avaliação da Pfizer junto à Anvisa.

Na reunião, Kfouri informou que a Covid matou mais crianças do que coqueluche, diarreia, sarampo, gripe e meningite somadas.

“A gente fala que só 0,4% das mortes ocorrem nos menores de 20 anos, mas 0,4% de 600 mil mortes são mais de 2.500 crianças e adolescentes que perderam a vida para a Covid. Em dois anos, esse total de mortes é maior do que todo o calendário infantil. Se somarmos todas as mortes por coqueluche, diarreia, sarampo, gripe, meningite, elas não somam 1.500 por ano. A Covid-19 é uma doença prevenível por vacina que mais mata nossas crianças”, diz.

Apesar da aprovação do uso da vacina, ainda não há previsão de quando a imunização vai começar, pois a dosagem para esse público será menor do que a utilizada por maiores de 12 anos e o Brasil ainda não tem essas doses ajustadas. Mais de 10 países já iniciaram a vacinação de menores de 12 anos.

Em nota, o Conass também aproveitou para cobrar que o Ministério da Saúde disponibilize as doses.

“Tendo em vista que para dar início à vacinação nesta faixa etária será necessária formulação específica desta vacina com um terço da fórmula “padrão” (10 microgramas por dose), o Conass aguarda posicionamento do Ministério da Saúde quanto à sua aquisição, o que é de sua competência“, afirmou o Conass.
Fonte: G1.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: