RN tem aumento de 27% nos casos confirmados de dengue, diz Sesap

RN tem aumento de 27% nos casos confirmados de dengue, diz Sesap
Aedes aegypti também é transmissor da febre amarela. — Foto: WikiImages/Pixabay
Aedes aegypti também é transmissor da febre amarela. — Foto: WikiImages/Pixabay

O Rio Grande do Norte teve um aumento de 27% no número de casos confirmados de dengue nestes primeiros três meses de 2022.

É o que aponta o boletim epidemiológico das arboviroses divulgado nesta terça-feira (29) pela Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap). O documento traz dados também sobre chikungunya e zika, outras doenças causadas pelo Aedes Aegypti.

O crescimento dos números da dengue é em comparação ao mesmo período do ano anterior. Os dados foram contabilizados até o dia 12 de março.

O boletim aponta que foram confirmados 229 casos de dengue neste período de 2022 de um total de 1.754 casos suspeitos. Em 2021, foram 179 casos confirmados.

Desses, 1.252 foram considerados casos prováveis, além de outros 502 que foram descartados. Segundo a Sesap, um óbito pela doença está em investigação.

A incidência apresentada pela doença foi de 35,16 casos prováveis por 100 mil habitantes.

Os municípios que apresentaram maior incidência de dengue foram Passa e Fica, Santo Antônio, Serrinha e Várzea (1ª Região de Saúde) e Jardim do Seridó e Parelhas (4ª Região de Saúde).

Tanto a dengue quanto as demais arboviroses registraram aumento de notificações. Outro perfil que se alterou foi em relação à localização dos casos, segundo a Sesap.

“Observamos em 2022 um aumento nos números em relação ao mesmo período do ano passado. Entre os três agravos, predominam as notificações de dengue“, pontuou Silvia Dinara, responsável técnica pelo Programa Estadual de Controle da Dengue.

“Em 2021, percebemos que as notificações ocorriam muito na Região do Trairi (5ª Região de Saúde), porém, neste ano, as notificações estão maiores na Região Agreste, onde se situa a 1ª Região de Saúde, bem como na Região do Seridó, que corresponde à 4ª Região de Saúde”.

Chikungunya

chikungunya teve 148 casos confirmados de 787 suspeitos notificados – outros 710 casos foram considerados prováveis e 77 descartados. Não houve nenhum óbito confirmado pela doença. A incidência foi de 19,94 casos prováveis por 100 mil habitantes.

Segundo a Sesap, em comparação com o mesmo período de 2021, houve um aumento no número de notificação. Em março do ano passado foram 303 casos notificados.

A predominância da notificação de casos também ocorreu em Passa e Fica, Santo Antônio, Serrinha, Várzea e Jardim do Seridó.

Zika

Já quanto o zika vírus, foram 153 casos suspeitos da doença, sendo confirmados 15 casos, de acordo com a Sesap. Houve o registro ainda de 130 casos considerados prováveis, 23 descartados e nenhum óbito confirmado.

A incidência registrada foi de 3,65 casos prováveis por 100 mil habitantes.

A pasta informou ainda sobre sete notificações de zika em gestantes, mas nenhum casos confirmado por critério laboratorial.

O quantitativo de casos de em gestantes é destacado na análise devido à capacidade do zika vírus provocar microcefalia ou alterações no sistema nervoso central do feto gestado.

As cidades que mais tiveram notificações foram Santo Antônio e Várzea, além de Guamaré, pertencente à 3ª Região de Saúde.

No Rio Grande do Norte, foi detectada a circulação dos sorotipos 1 e 2, que, em alguns municípios, ocorrem simultaneamente.

Prevenção

A Sesap reforça, junto à população, os cuidados necessários para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor das arboviroses:

  • Mantenham os quintais livres de possíveis criadouros do mosquito;
  • Esfreguem com bucha as vasilhas ou reservatórios de água de seus animais;
  • Não coloquem lixo em terrenos baldios;
  • Mantenham as caixas d´água sempre tampadas;
  • Observem vasos e pratos de plantas que acumulam água parada;
  • Observem locais que possam acumular água parada como: bandeja de bebedouros e de geladeiras, ralos, pias e vasos sanitários sem uso;
  • Recebam a visita do agente de endemias, aproveitando a oportunidade para tirar possíveis dúvidas;
  • Mantenham em local coberto, pneus inservíveis e outros objetos que possam acumular água.

Fonte: G1 RN.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: