O Impacto da Pandemia da Covid-19 no Volume de Mamografias no Brasil: uma Análise de Previsão Baseada nos Números Históricos

A neoplasia mamaria constitui a primeira causa de óbito por câncer em mulheres brasileiras. Dados sobre o real impacto da pandemia na política de rastreamento e diagnostico do câncer de mama no Brasil ainda são desconhecidos.

 Objetivo: Avaliar o efeito da pandemia da covid-19 no número de mamografias realizadas no Sistema Único de Saúde (SUS).

 Método: Estudo epidemiológico, quantitativo e de delineamento transversal. Foram selecionadas mamografias mensais realizadas no SUS após consulta ao Departamento de Informática do SUS (DATASUS). Foi avaliado o volume histórico, de janeiro de 2017 a marco de 2020, mês seguinte ao primeiro caso de covid-19 diagnosticado no Brasil, para se construir um modelo de previsão das mamografias esperadas de marco de 2020 até dezembro de 2021. 

Resultado: No ano de 2020, 1.705.475 mamografias deixaram de ser realizadas no Brasil em relação ao ano anterior, segundo o DATASUS. O modelo de previsão, com base nos valores históricos, mostrou um déficit de 1.635.42 mamografias. Em maio de 2020, ocorreu a maior queda na realização dos exames, representando apenas 20,69% das mamografias realizadas no mesmo mês do ano anterior. 

Conclusão: A detecção precoce do câncer de mama foi uma das áreas medicas impactadas pela política de restrição e isolamento impostos no ano de 2020. Nesse sentido, esforços governamentais futuros serão necessários para oferecer tratamento a eventuais pacientes com diagnostico tardio de câncer de mama, além das mamografias que não puderam ser realizadas.

Fonte: https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista/article/view/2566

Deixe um comentário