Ministério da Saúde incorpora vacina Covid-19 para crianças de 6 meses a menores de 5 anos no SUS

Ministério da Saúde incorpora vacina Covid-19 para crianças de 6 meses a menores de 5 anos no SUS

Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec) deu parecer favorável à imunização.

Foto: Drazen Zigic/Freepik
Foto: Drazen Zigic/Freepik

O Ministério da Saúde recomenda a vacinação contra a Covid-19 para todas as crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias) com o imunizante Pfizer-BioNTech. A recomendação passou pela avaliação da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec), que deu parecer favorável à incorporação do imunizante no SUS para essa faixa etária. A portaria foi publicada no Diário Oficial da União nesta quinta-feira (29).

De acordo com a Nota Técnica publicada pela Pasta, a recomendação é que a ampliação da vacinação para esse público-alvo aconteça de forma escalonada, conforme a disponibilidade da doses. O Ministério da Saúde já distribuiu cerca de um milhão de doses para essa faixa etária e está em constantes tratativas com o laboratório para aquisição de novos lotes.

As crianças com comorbidades terão prioridade, como já estava ocorrendo desde outubro deste ano. Para crianças sem comorbidades, será realizada a imunização por faixa etária, seguindo essa orientação:

  • 6 meses a menores de 1 ano de idade
  • 1 ano a 2 anos de idade
  • 3 anos de idade
  • 4 anos de idade

Segundo o documento, o esquema de vacinação primário deve ser composto de três doses, sendo que as duas doses iniciais devem ser administradas com quatro semanas de intervalo, seguidas por uma terceira dose administrada pelo menos oito semanas após a segunda dose para esta faixa etária.

As crianças de 3 e 4 anos de idade que iniciaram o esquema de imunização com a vacina Covid-19 Coronavac, imunizante também aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para essa faixa etária, deverão ter o esquema primário finalizado com a Coronavac.

A Nota Técnica reforça, ainda, que não há evidências quanto a intercambialidade de vacinas em crianças. Desta forma, “recomenda-se que os estados e municípios reservem as doses necessárias para completar o esquema vacinal de todas crianças que iniciarem a vacinação neste momento”.

Fonte: Ministério da Saúde.

Deixe um comentário