Depois de 3 anos e mais de 7 milhões de mortos, OMS declara o fim da emergência de saúde global da COVID-19

Depois de 3 anos e mais de 7 milhões de mortos, OMS declara o fim da emergência de saúde global da COVID-19

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que a Covid-19 não representa mais uma emergência de saúde global, o que marca um grande passo para o fim da pandemia que matou mais de 6,9 milhões de pessoas e devastou comunidades ao redor do mundo. O comitê de emergência da OMS havia declarado pela primeira vez que a Covid-19 representava seu nível mais alto de alerta em janeiro de 2020, ajudando a concentrar a atenção internacional na ameaça à saúde, além de reforçar a colaboração em vacinas e tratamentos.

Retirar a declaração de emergência é um sinal do progresso que o mundo fez na luta contra a Covid-19, mas a doença ainda representa um desafio contínuo. A OMS alertou que a Covid-19 ainda está presente e continuará a ser uma preocupação de saúde estabelecida e contínua. Embora a taxa de mortalidade tenha diminuído significativamente desde o pico de janeiro de 2021, ainda há desafios significativos para garantir o acesso equitativo a vacinas e tratamentos em todo o mundo.

Apesar de não ser mais uma emergência global, a Covid-19 continuará a ter um impacto significativo em muitas comunidades e sistemas de saúde em todo o mundo. A pandemia mudou a forma como as pessoas vivem, trabalham e interagem, e as consequências a longo prazo ainda são incertas. A OMS destacou a importância de fortalecer os sistemas de saúde, continuar as comunicações de risco e o engajamento comunitário, além de integrar as atividades de vigilância e resposta à Covid-19 em programas de saúde rotineiros.

A declaração da OMS é um lembrete de que a luta contra a Covid-19 ainda não acabou e que ações contínuas são necessárias para proteger a saúde global e garantir que o mundo esteja preparado para futuras ameaças à saúde. O progresso na luta contra a pandemia é um testemunho da capacidade de colaboração e inovação da comunidade global de saúde, e essa mesma determinação será necessária para enfrentar os desafios que ainda virão.

Fonte: Academia Médica.

*Imagem em destaque: Aacademia Médica.

Deixe um comentário