Secretaria de Saúde do RN anuncia abertura de 35 leitos para tentar esvaziar corredores do Hospital Walfredo Gurgel

Secretaria de Saúde do RN anuncia abertura de 35 leitos para tentar esvaziar corredores do Hospital Walfredo Gurgel
Ambulâncias do Samu na frente do Hospital Walfredo Gurgel, em Natal (Arquivo). — Foto: Inter TV Cabugi/Reprodução/via G1 RN
Ambulâncias do Samu na frente do Hospital Walfredo Gurgel, em Natal (Arquivo). — Foto: Inter TV Cabugi/Reprodução/via G1 RN

A Secretaria de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap) anunciou nesta quinta-feira (17) que deverá abrir 35 leitos em até dois meses como uma das medidas necessárias para reduzir a superlotação do Hospital Walfredo Gurgel, em Natal.

Na manhã desta quinta-feira (17), 19 pacientes estavam nos corredores da maior unidade hospitalar do estado, por falta de leitos.

A proposta de acordo foi apresentada dentro de um processo judicial de 1999 e aprovada pelo Ministério Público. Com isso, o acordo deve ser homologado pelo Poder Judiciário.

A previsão é de abertura de 20 leitos de ortopedia, a curto prazo, no Hospital Dioclécio Marques, em Parnamirim, na Grande Natal. A expectativa é de que isso possa ocorrer em até 15 dias.

A médio prazo, o estado ainda prevê a abertura de 15 leitos no quinto andar do Hospital Walfredo Gurgel, o que ainda depende de convocação de aproximadamente 50 profissionais concursados. A previsão do governo é de seriam necessários dois meses para abertura desses leitos.

Segundo a secretária de Saúde, Lyane Ramalho, a convocação dos concursados só poderá ocorrer com a homologação do acordo na Justiça, para não ferir o limite prudencial de gastos com pessoal previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal.

“A gente sai desta manhã com muita esperança inclusive de, nesses próximos dias, a gente estar numa outra situação aqui, de avançar para uma estabilidade, de termos corredores vazios, sabendo que esse é o maior hospital do estado e de vez em quando a gente vai ter ciclos de maior pressão aqui na porta do Walfredo Gurgel”, disse a secretária.

Lyane Ramalho, ainda reforçou que municípios da região metropolitana precisam atender a demanda de pacientes ortopédicos de baixa complexidade, que têm sido atendidos pelo hospital, embora não façam parte do perfil de atendimento da unidade.

“A gente ainda precisa resolver o problema da barreira sanitária ortopédica, que é a instalação de serviços que possam atender pacientes que estão entrando aqui no Walfredo Gurgel e que não são perfil do Walfredo Gurgel”, ressaltou.

De acordo com o diretor do hospital, Tadeu Alecar, as medidas anunciadas deverão contribuir para o esvaziamento dos corredores. O aumento de leitos significa também o aumento de cirurgias, segundo explica. Atualmente a unidade não teria condições de aumentar o número de cirurgias realizadas diariamente, porque não tem para onde mandar os pacientes operados.

“Ajuda muito, mas a gente sabe que a solução definitiva é com os municípios, principalmente Parnamirim, Macaíba e São Gonçalo do Amarante, que precisam ficar com os pacientes da baixa complexidade em ortopedia, que é o que está superlotando nossos corredores e não é nosso perfil. Nosso perfil é AVC, politraumatizados e grandes queimados. Fraturas de braço, de perna, fraturas simples, têm sido 70% dos nossos atendimentos”, disse o diretor.

A promotora Iara Pinheiro, do Ministério Público, considerou que o prazo apresentado pelo estado é razoável e foi favorável ao acordo.

“O prazo de até 60 dias é muito satisfatório, que atendeu às expectativas do Ministério Público como sendo uma resposta viável e possível para o enfrentamento real desse problema”, considerou.

Deixe um comentário