Covid-19: Itália pede ajuda urgente a médicos estrangeiros para combater pandemia

Covid-19: Itália pede ajuda urgente a médicos estrangeiros para combater pandemia

Algumas regiões italianas estão a solicitar ajuda de médicos estrangeiros para combater a crise de saúde pública da Covid-19, numa altura em que o país sofre muitas necessidades de recursos humanos, que podem pôr em risco a resposta à pandemia, avança a ‘Euronews’.

Com uma necessidade de mais cinco mil médicos para lutar contra a doença viral, o problema de longo prazo de falta de profissionais de saúde agravou-se bastante. Segundo as autoridades de saúde italianas, existem ventiladores suficientes para responder a uma segunda vaga, mas não há médicos suficientes para operá-los.

Carlo Palermo, dirigente nacional do sindicato dos médicos Anaao Assomed, ilustra a situação vivida no país. «O problema é que só os especialistas podem trabalhar em unidades de cuidados intensivos (UCI), o que inclui médicos e enfermeiros especializados. Os números não são animadores, precisamos de dois mil médicos para operar ventiladores», revela citado pela ‘Euronews’

O governo italiano tem planos para aumentar o número de camas de UCI, das atuais 5200 para um total de cerca de 11 mil, o que segundo Palermo, «iria significar adicionar mais camas em locais onde já há falta de pessoal médico, diminuindo o nível de segurança e a qualidade dos tratamentos».

Por enquanto a contratação de estagiários, que ainda não concluíram os estudos, tem sido a melhor solução. Contudo, e porque em Itália as regiões podem tomar as suas próprias decisões sobre saúde pública, em zonas do norte do país, como Piemonte e Lombardia, as autoridades locais recorreram a Organizações Não Governamentais (ONG), pedindo-lhes que enviassem médicos de todo o mundo.

A Associação de Médicos Estrangeiros que vivem em Itália é um grupo que representa um total de 77.500 profissionais, incluindo enfermeiros. Normalmente, para se ser contratado, seria necessária a cidadania plena, embora, devido à emergência iminente, um decreto recente tenha permitido os seus pedidos.

No entanto, apenas alguns funcionários foram contratados dessa forma, o que levou a associação a fazer um apelo ao governo, no qual exige que a legislação seja aplicada em todo o país, pra que mais médicos possam ser contratados por intermédio desta via.

Representando apenas 8% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, o investimento geral de Itália no setor de saúde está abaixo da média de outros países europeus, nomeadamente Alemanha e França. Um problema antigo que agora afeta a luta contra a Covid-19.

Itália regista atualmente 1.238.072 casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus, bem como 46.464 vítimas mortais, de acordo com o boletim mais recente divulgado na terça-feira pelas autoridades de saúde do país. A nível global existem mais de 55,6 milhões de infetados e mais de 1,3 milhões de mortes, segundo a Universidade Johns Hopkins.

Fonte: Executive Digest.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: