Uso inadequado de lentes de contato pode levar a danos graves nos olhos

Uso inadequado de lentes de contato pode levar a danos graves nos olhos
Foto: Martin Slavoljubovski via Pixabay
Foto: Martin Slavoljubovski via Pixabay

Quem usa lentes de contato há bastante tempo, muitas vezes acaba negligenciando os cuidados necessários. E o preço pode ser muito alto, já que as lentes ficam em contato direto com a córnea, a membrana transparente localizada na parte da frente do globo ocular que permite a entrada da luz e ajuda no foco.

Em casos mais leves, podem acontecer reações alérgicas provocadas por proteínas da lágrima que se acumulam sobre a lente e em longo prazo sensibilizam o olho.

“Esse quadro costuma ocorrer principalmente em quem abusa do uso e pode levar à intolerância ao objeto, fazendo com que a pessoa nunca mais possa usá-lo”, diz Claudia Del Claro, oftalmologista chefe do Setor de Lentes de Contato do Hospital de Olhos de Florianópolis (SC).

Os problemas moderados são ligados à baixa oxigenação da córnea, provocada pelo uso prolongado, sem intercalar com os óculos. Isso acontece porque essa estrutura não tem vasos e sua oxigenação acontece pelo ar. Se isso não ocorrer da forma adequada, pode levar ao surgimento dos chamados neovasos que se desenvolvem sobre essa parte do olho para compensar a falta de oxigênio e podem acabar prejudicando a visão, provocando hemorragias e deslocamento da retina.

Há também o risco de danos em algumas células do olho. Esses problemas podem desencadear diminuição da visão e, em casos extremos, até a necessidade de transplante de córnea.

Atualmente, existem lentes com alta oxigenação, mas mesmo nesse caso é preciso obedecer o período de descarte sugerido pelo fabricante e o tempo de uso diário estipulado pelo médico oftalmologista para não colocar os olhos em risco.

Foto: Martin Slavoljubovski via Pixabay
Foto: Martin Slavoljubovski via Pixabay

Os quadros mais graves surgem por causa de infecções que podem trazer consequências devastadoras a essa parte do corpo, provocando o surgimento de cicatrizes que limitam a visão e, se forem muito extensas, podem levar ao transplante de córnea ou mesmo à perda do globo ocular.

“Se a infecção for importante, muitas vezes orientamos a não persistir no uso das lentes para evitar o risco de um novo quadro que pode ser muito arriscado”, diz Ione Alexim, oftalmologista do Icnesp (Instituto de Ciências Neurológicas de São Paulo) e chefe do setor de oftalmologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, na capital paulista.

Existe um tipo muito grave de infecção que é principalmente ocasionada por um protozoário encontrado na água, a acanthamoeba. “O contágio acontece se o epitélio, a camada mais superficial da córnea, não estiver íntegro, o que pode acontecer se o uso das lentes for inadequado”, alerta o oftalmologista João Marcelo Lyra, professor adjunto da Uncisal (Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas).

Perda da visão

Foi o que aconteceu com a dentista Nicole Géo, de Belo Horizonte, Minas Gerais. “O início dos sintomas começou em fevereiro deste ano, mas os primeiros médicos que procurei trataram o caso de maneira inadequada”, conta.

Por isso, quando ela finalmente chegou ao diagnóstico correto, o quadro já estava bem grave e ela estava correndo o risco de perder o globo ocular. Então, começou a corrida contra o tempo. “Sentia muita dor e tinha muita fotofobia, por isso não conseguia nem ver televisão ou mexer no celular, minha vida parou por cinco meses”, diz.

Ela passou por oito cirurgias e usou muitos medicamentos e tudo isso não dava o resultado esperado. Por essa razão, depois de oito meses a sua médica resolveu congelar sua córnea. Foi necessário um transplante dessa estrutura do olho e até hoje ela não voltou a enxergar e vai precisar de novas cirurgias que podem devolver a sua visão.

Para evitar que o quadro evolua e se complique, como aconteceu com a dentista, é muito importante procurar um oftalmologista diante de qualquer sinal de que algo está errado, como vermelhidão, sensação de areia dentro dos olhos, lacrimejamento, sensibilidade à luz e visão borrada.

Se esses sintomas surgirem durante o uso das lentes, é essencial retirá-las o mais rápido possível. E nada de utilizar medicamentos por conta própria.

Foto: Gedesby1989 via Pixabay
Foto: Gedesby1989 via Pixabay

Os “10 mandamentos” para evitar problemas com o uso das lentes

  1. Lave bem as mãos com água e sabão e seque completamente antes de manuseá-las
  2. Na hora da limpeza e armazenamento, use somente a solução específica para lentes de contato, não soro fisiológico ou água. Faça movimentos de fricção e enxágue diariamente após o uso
  3. Todos os dias após colocar as lentes nos olhos, despreze completamente a solução multiuso que ficou no estojo e limpe-o com o próprio líquido. Substitua o estojo a cada três meses
  4. Não use as lentes após seu vencimento (respeite o prazo de validade do fabricante)
  5. Não durma com as lentes de contato
  6. Não tome banho de chuveiro ou mergulhe em mar, rio ou piscina com as lentes de contato
  7. Use colírios lubrificantes próprios para o uso com lentes de contato
  8. As lentes de contato não substituem completamente os óculos. Alterne diariamente o uso dos dois
  9. Faça higiene nos cílios diariamente com xampu neutro ou produtos não oleosos próprios para o uso oftalmológico
  10. As lentes de contato devem ser adaptadas e supervisionadas pelo médico oftalmologista.

Fonte: UOL Viva Bem por Thais Szego.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: